Forró, quadrilha junina, comidas típicas, declamações, pescarias, brincadeiras e decoração temática deram o tom da alegria dos festejos juninos para jovens e adolescentes, seus familiares, direção, servidores, técnicos, docentes e agentes nas unidades socioeducativas do Estado. Esta ação integrativa junina junto às famílias visa, principalmente, o fortalecimento dos vínculos familiares  e acontece aliada a um calendário integrado das unidades à Diretoria Técnica da Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente ‘Alice de Almeida’ (Fundac).

O presidente da Fundac, Flávio Moreira, em visita à unidade Semiliberdade, durante a celebração junina, expressou carinho por todos enfatizando a responsabilidade que tem com a socioeducação no sentido de trazer de volta o interno ao convívio familiar. “Espero que estejamos irmanados na missão de socioeducar e devolver para a sociedade e para as famílias os seus filhos e suas filhas”, pontuou. Para Moreira, essa é a função da Fundac e sua missão confiada pelo governador João Azevêdo, que é a socialização de comunidade, socioeducandos, socioeducadores e todo corpo técnico da Fundação.

Para a coordenadora do setor de Abordagem Familiar e Comunitária (responsável pela ação), Taíza Gomes, famílias e internos presentes numa ação dessas de reintegração social significa o êxito desse processo socioeducativo e isso só se faz junto dos familiares. “Então vocês são o motivo de hoje estarem aqui reunidos”, disse para as famílias.

Taíza também destacou o empenho e o compromisso dos professores e a gestão das três escolas socioeducativas cidadãs (Almirante Saldanha, Mestre Julio Sarmento e a Escola Cidadã Integral Técnica Francisca Martiniano da Rocha, de Lagoa Seca), que executam em conjunto com a Fundac esse projeto, que tem por objetivo o fortalecimento dos vínculos familiares. “A gente sabe que não é fácil, mas é necessário para que seja trilhado um novo caminho”, afirmou. Aos familiares ela falou da importância de tê-los juntos, “porque de nada adianta o empenho de todo mundo se o compromisso maior não for com os familiares”.

De acordo com o calendário da ação integrativa, a primeira unidade a realizar a festa foi o Centro Educacional do Adolescente-Internação Provisória – CEA/JP, seguido do Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE) e Centro Socioeducativo Rita Gadelha. O encerramento se deu nesta quarta-feira (22), no Centro Educacional do Jovem-CEJ. Todas as unidades ofereceram um café regional contendo comidas típicas comuns neste período junino ao som de trios de forró compostos por professores e internos das várias unidades. No domingo último, os festejos tomaram conta dos internos, familiares e servidores do Complexo Lar do Garoto e Internação Provisória, em Lagoa Seca, e na terça-feira também aconteceram as celebrações juninas com familiares no Centro Educacional do Adolescente/CEA/Sousa e Semiliberdade.

Cada unidade contou também com a presença das direções, corpo técnico (Assistentes Sociais, Psicólogos), servidores, agentes socioeducativos, professores (as), coordenadores pedagógicos, ECIS e convidados.