Em meio à crise nacional com queda de mais de 19% nos repasses de recursos federais que atinge os municípios brasileiros, o prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, anunciou nesta sexta-feira (29) uma série de medidas e cortes de despesas para garantir os investimentos na cidade e a conclusão e continuidade de obras. Segundo Bruno, para não precisar aumentar impostos, “é preciso coragem para cortar na própria carne, diminuindo o custo da máquina pública, e para manter o equilíbrio fiscal, garantindo os investimentos e a conclusão das obras”.

Entre as medidas, detalhadas em decreto publicado nesta sexta (29), estão a redução de 20% no salário do próprio prefeito, 10% no salário dos secretários, a exoneração de assessores e cargos de confiança, corte de gratificações e despesas administrativas, como a suspensão de pagamento de diárias e a redução de 90% na emissão de passagens aéreas. O enxugamento no custo da máquina pública municipal tem vigência de 90 dias.

“Nossa decisão foi tomada de forma madura e responsável. Afinal de contas, não podemos deixar que problemas nos repasses do governo federal prejudiquem o andamento das nossas ações, a exemplo do grande pacote de obras que estamos executando em Campina e o funcionamento, por exemplo, do Restaurante Popular ‘Prato do Povo’, que já serviu mais de 15.000 refeições desde que foi inaugurado”, afirmou o prefeito.

Todos os municípios do país estão sofrendo com a diminuição dos valores obrigatórios repassados pela União. Muitos estão sendo obrigados a tomar medidas para a travessia desse momento, alerta o prefeito. “A crise é real e exige de nós coragem e atitude, para cortar na própria carne e garantir o andamento e a conclusão das obras que Campina conquistou e que vão continuar sendo realizadas”, explica Bruno.

Nenhuma das áreas essenciais da Prefeitura será atingida pelos cortes nas despesas administrativas. As medidas adotadas foram planejadas detalhadamente nas últimas semanas para garantir o equilíbrio fiscal conquistado pelo Município.

“Estamos economizando recursos para adaptar o caixa à realidade de crise nacional deste momento, mas nossa principal escolha é garantir os serviços públicos, dar sequência e concluir o grande conjunto de obras que estamos realizando, acelerando o que está sendo feito para gerar mais desenvolvimento e melhoria de vida para as pessoas”, acrescentou, reforçando que, para essas medidas, optou por não alterar alíquotas ou impor ao cidadão-cliente-contribuinte o ônus no pacote de medidas.

Pacote de obras

A Prefeitura de Campina Grande está executando obras em todas as regiões da cidade. Após promover a reforma de mais de 30 unidades de saúde, pavimentar cerca de 300 ruas e garantir iluminação em LED para 250 ruas e avenidas, a gestão deve inaugurar nos próximos dias as obras de requalificação completa da Escola Leonardo Vitorino, no Pedregal, e da UBS do Tambor I. Merecem destaque também as novas creches no João Paulo II e Campo D’Angola, o novo CEO da Catingueira e a última etapa do Parque Linear Dinamérica, além do ritmo acelerado em obras estruturantes, como a abertura da nova Avenida Félix Araújo, a segunda etapa do canal de Bodocongó e a revitalização do Parque Evaldo Cruz.